13 de novembro de 2015

Poetizando: A solidão e o Poeta

|
    

     E o poeta que observa narra a cena com paixão pois de certa forma adivinhava oque havia em seus corações. Não por que era vidente, mas porque  o amor transparecia em seus olhos, em cada sorriso solto e olhares de bobos. E enquanto o poeta os admirava, eu então olhava o poeta que em sua solidão andava de anti mão não ignorando a afeição mas usando esse  amor, como sua mais rica fonte de inspiração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário